Escolha uma Página

Bem no meio do feriado de Carnaval, nasceram as esperadíssimas gêmeas da cantora Ivete Sangalo e com elas, a expectativa de milhares de fãs de conhecer o rosto das meninas e saber da rotina da família após a chegada das bebês. Rapidamente, a família tratou de anunciar um pedido de que as visitas às recém-nascidas não acontecessem neste primeiro momento… Mas, pense bem… é só por uma questão de etiqueta que esta orientação é dada às famílias?

As meninas da cantora nasceram no último dia 10 de fevereiro. Foto: Instagram

 

Claro que não! Existem diversas formas de expressar acolhimento e gentileza pelo nascimento de uma criança, mas nestes primeiros dias, a família precisa mesmo de espaço e tempo. Mesmo as pessoas mais próximas à mãe, por exemplo, ao tentar ajudar, podem causar transtornos… é preciso avaliar cada situação com bom senso e cautela, pensando sempre no bem-estar da mãe e do bebê. Confira dez dicas da Consukids para esta primeira etapa tão importante para as famílias que acabaram de ganhar um novo integrante!

 

O que fazer e o que não fazer:

 

Maternidade

As visitas na maternidade devem ser feitas apenas por quem é bem próximo da mãe. E, mesmo nesses casos, é aconselhável que se evite o dia do nascimento, pois a mãe ainda está em recuperação.

Saúde

Em qualquer situação, deve-se avaliar o próprio estado geral de saúde para visitar um recém-nascido. Visitá-lo estando adoentado, com resfriado ou outra complicação de saúde não deve ser nem cogitado. Na dúvida, espere o bebê completar três meses para ir conhecê-lo. Quando quem está adoentado é uma pessoa de casa – pai, mãe ou irmãos –, o importante é manter as mãos sempre higienizadas e evitar beijos e outros contatos muito próximos. A mãe, nestes casos, pode, inclusive, usar máscara cirúrgica na amamentação.

Avise!

Quando a família já estiver em casa, para fazer a visita, não deixe de avisar com antecedência. Afinal, nesta fase, é normal que momentos de descanso aconteçam durante o dia, já que os bebês costumam, nos primeiros meses de vida, não ter horário certo para dormir. Além disso, é complicado para qualquer família com recém-nascido receber vários visitantes ao mesmo tempo, não é?

Crianças

Em geral, elas adoram outros pequeninos, mas se forem pequenas, podem tumultuar o ambiente para a mãe e bebê. Pense bem antes de leva-los e se for o caso, converse antes pra que compreendam a situação e como devem se portar diante dela.

Cheiros

Fumantes devem deixar o cigarro de lado pelo menos duas horas antes de visitar o bebê. Também é bom evitar o uso de loções, cremes ou perfumes fortes.

Beijos e colo

Não é recomendável beijar mãos e pés de crianças nesta fase, nem tocá-los. Deixe essa prática para quem cuida do bebe e ainda assim, eles também devem fazer isso com moderação. O motivo é simples: a principal “porta” de contaminação dos bebês está no rostinho, pelo nariz e pela boca, locais em que eles se tocam com frequência. Também evite pedir para pegar a criança, pois a maioria dos pais sente-se insegura para fazer isso no começo, o que é natural.

Tempo

As visitas nesta etapa devem ser breves. Evite aceitar convites para lanchinhos ou café, até porque os pais dificilmente terão tranquilidade para isso. O melhor é demonstrar o seu carinho e atenção a família e voltar em outro momento propício, quando a criança estiver maior.

Privacidade

Se a mãe estiver amamentando, dando banho na criança, ou mesmo descansando, respeite este momento, que precisa ser de tranquilidade. Se for o caso, volte em outro momento. Sobre as fotos: parece óbvio ( não custa lembrar), mas só as faça com a permissão da família e redes sociais, então, só devem ser usadas pelos pais.

Regras de higiene

Quem vai visitar um recém-nascido deve, após entrar, lavar as mãos até a altura dos cotovelos, principalmente se for pegar a criança, com água e sabão. Ter um pote de álcool gel em casa, nestes momentos, é uma boa opção.

Passeios

Crianças com menos de três meses não devem ir para locais fechados e aglomerados. Então, convites nesta fase até podem ser feitos, mas como uma forma de gentileza, sem exigir a presença da família. Até porque, em especial, nos meses de outono e no início do inverno, por exemplo, esses passeios são até perigosos para as crianças com menos de 90 dias, em virtude do risco de contaminação por vírus comuns nestas épocas.

Fonte: Consukids e site família.org 

Foto:Freepik